Precursores do Espiritismo

Loading...

terça-feira, 12 de junho de 2012

Parábola da vaquinha







Era uma vez, um sábio chinês e seu discípulo. Em suas andanças, avistaram um casebre de extrema pobreza onde vivia um homem, uma mulher, 3 filhos pequenos e uma vaquinha magra e cansada. Com fome e sede o sábio e o discípulo pediram abrigo e foram recebidos. O sábio perguntou como conseguiam sobreviver na pobreza e longe de tudo.

- O senhor vê aquela vaca ? – disse o homem. Dela tiramos todo o sustento. Ela nos dá leite que bebemos e transformamos em queijo e coalhada. Quando sobra, vamos à cidade e trocamos por outros alimentos. É assim que vivemos.

O sábio agradeceu e partiu com o discípulo. Nem bem fizeram a primeira curva, disse ao discípulo :

- Volte lá, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali em frente e atire-a lá em baixo.

O discípulo não acreditou.

- Não posso fazer isso, mestre ! Como pode ser tão ingrato ? A vaquinha é tudo o que eles têm. Se a vaca morrer, eles morrem !

O sábio, como convém aos sábios chineses, apenas respirou fundo e repetiu a ordem :

- Vá lá e empurre a vaquinha.

Indignado porém resignado, o discípulo assim fez. A vaca, previsivelmente, estatelou-se lá embaixo.

Alguns anos se passaram e o discípulo sempre com remorso. Num certo dia, moído pela culpa, abandonou o sábio e decidiu voltar àquele lugar. Queria ajudar a família, pedir desculpas. Ao fazer a curva da estrada, não acreditou no que seus olhos viram: No lugar do casebre desmazelado havia um sítio maravilhoso, com árvores, piscina, carro importando, antena parabólica. Perto da churrasqueira, adolescentes, lindos, robustos comemorando com os pais a conquista do primeiro milhão. O coração do discípulo gelou. Decerto, vencidos pela fome, foram obrigados a vender o terreno e ir embora. Devem estar mendigando na rua, pensou o discípulo.

Aproximou-se do caseiro e perguntou se ele sabia o paradeiro da família que havia morado lá.

- Claro que sei. Você está olhando para ela.

Incrédulo, o discípulo afastou o portão, deu alguns passos e reconheceu o mesmo homem de antes, só que mais forte, altivo, a mulher mais feliz e as crianças, jovens saudáveis. Espantado, dirigiu-se ao homem e disse :

- Mas o que aconteceu ? Estive aqui com meu mestre alguns anos atrás e era um lugar miserável, não havia nada. O que o senhor fez para melhorar de vida em tão pouco tempo ?

O homem olhou para o discípulo, sorriu e respondeu :

- Nós tínhamos uma vaquinha, de onde tirávamos o nosso sustento. Era tudo o que possuíamos, mas um dia ela caiu no precipício e morreu. Para sobreviver, tivemos que fazer outras coisas, desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos.

E foi assim, buscando novas soluções, que hoje estamos muito melhor que antes.

Autor desconhecido

Tema Básico: Valorização da própria vida - 4


Objetivo: Valorizar a existência aproveitando bens e oportunidades recebidos.
1- Atividade Dinâmica:
2- Harmonização Inicial
3- Atividade Introdutória
3.1- Colocar dentro de uma caixa figuras divididas pela metade (ver anexos1,2 e 3). Distribuir uma metade de figura para cada criança.
3.2- Pedir a cada criança que procure o colega que está com a outra metade.
3.3- Juntar as duas metades e pedir que observando a figura formada, falem sobre sua utilidade ou o que sabem sobre ela.
4- Atividade Reflexiva
4.1- Narrar a história: A TERRA DAS METADES
4.2- Avaliar a compreensão através das perguntas:
Como Mauro chegou à Terra das Metades?
Como Mauro via os objetos? E o seu corpo?
– Mauro sentiu falta da outra metade? Por quê?
– Se você estivesse no lugar de Mauro também sentiria falta?
Podemos viver sem parte do nosso corpo, por exemplo, sem a mão, sem a perna ou sem os braços?
– Seria mais fácil ou mais difícil fazer as coisas?
– As pessoas que são assim são menos importantes?
– Que outras coisas boas recebemos de Deus, além do corpo?
4.3- Dialogar a respeito dos seguintes conceitos:
Ü O corpo que temos, perfeito ou não, é sempre importante.
Ü Nunca devemos caçoar das pessoas que têm defeitos no corpo.
Ü Devemos cuidar bem do nosso corpo porque precisamos dele para brincar, estudar, pas-sear, trabalhar...
Ü Devemos sentir-nos felizes por todas as coisas boas que Deus nos deu.
5- Atividade Criativa
5.1- Formar duplas com as crianças. Pedir que recortem, em papel colorido e de acordo com o modelo abaixo a “flor-coração”. Colar as partes e cada um terá uma flor de cor diferente.


Pedir que as crianças montem um painel com as “flores-coração”, formando o Jardim de Jesus.
5.2- Comentar que, para Jesus, cada criança é como uma flor do Seu jardim. As flores podem ser diferentes. As crianças também podem ser diferentes. Mas, todas são importantes... Todas nasceram para serem felizes.
6- Harmonização Final/ Prece
6.1- Formar um círculo com as crianças e acender uma vela no centro do círculo. Pedir que as crianças olhem bem a luz da vela.
6.2- Pedir que fechem os olhos e vejam aquela luz no coração... Aos poucos a luz vai se tornando forte, cada vez mais forte... Ela se espalha por todo o corpo.
6.3- Meditar:
Obrigado, Jesus, pela luz bonita que tenho no coração.

7- Auto-Avaliação

Ilustração: A TERRA DAS METADES



Anexo 1




 Anexo 2





 Anexo 3





  Flanelógrafo 1





 Flanelógrafo 10 e 12







 Flanelógrafo 2, 2a, 4,5,6






 Flanelógrafo 3,7 e 8






Flanelógrafo 9 e 11






Flanelógrafo 13 e 14




Felicidade a vista





Para ser feliz, creia em si, segure os nervos, levante-se das quedas, sustente o entusiasmo e aperte a trilha do egoísmo.
Não combina querer viver bem, feliz e deixar crescer o desânimo, perder tempo,desprezar a paz, o crescimento interior, recolher dentro de si os fantasmas da ilução e do medo.
Você foi eleito por Deus para ter animo ser alegre,sensível, chegar á docê paz, ser totalmente feliz, e assim dever ser.
Faça um plano de vida e se ponha a caminho da felicidade.
Quando você estabelece um roteiro, a felicidade fica logo á vista.

Fonte: gotasdepaz.com.br

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/felicidade-a-vista/?PHPSESSID=350e99ba12f9e998724311d01e23ed30#ixzz1xc0NvAcb

Ilustrações para colorir Francisco de Assis

Fanel 1, 5,6



Flanel 2,3,4

Tema básico: A vida vegetal (Crianças de 4 a 7 anos)


Unidade: A natureza

Objetivo: Identificar características e importância dos vegetais, assim como a interação responsável do homem com esses recursos.

    1-  Atividade dinâmica

-2-  Harmonização inicial

    3-  Atividade Introdutória
3.1- Selecionar, previamente, em duplicatas, minerais como, por exemplo: pedras de cores diferentes, pequenos mármores, granitos, cristais; partes de vegetais, tais como: folhas vermelhas e verdes, de diferentes tipos, frutos comum na região, pedaços de cascos de árvores...
3.2- O educador colocará no centro da rodinha uma amostra de cada tipo e as duplicatas na frente das crianças, pedindo que apenas as observem e procurem descobrir a correspondente no centro da rodinha.
    4- Atividade reflexiva
4.1- O educador chamará uma criança de cada vez para apresentar a sai amostra, indicar a outra semelhante, e depois perguntará:
ü  O que é
ü  Se nasce e cresce
ü  Se tem vida
ü  Se é animal ou vegetal
ü  Se já viu em algum lugar
ü  Pra que serve
ü  Se precisa cuidados e quais são eles
                4.2- O educador destacará um atributo de cada peça (cor, brilho, resistência, utilidade...) , buscando desenvolver a sensibilidade das crianças para o belo, o útil, revelando admiração pela natureza, que protege todos os seres. Por exemplo:
- Olhem estes carrapichos. A natureza deu-lhes estes espinhos. Isso foi muito bom para eles, senão todos esses frutinhos seriam comidos pelos animais.
               4.3- Após isso, cada criança colocará suas amostras na caixa correta: dos vegetais ou dos minerais.
     5-Atividade criativa
5.1- O educador apresentará dois ou mais desenhos simples em tamanho grande. Depois de dividir a turma em dois grupos, pedirá a cada um deles que cole pedacinhos das  plantas (folhas, sementes...) no desenho , fazendo um trabalho bem bonito.
Observação: os desenhos dependerão do nível das crianças: bola, arvore, chapéu, vestido... orientar o modo de passar a cola no papel. Deixar secar bem. Em seguida expor os trabalhos no mural da sala.

5.2- As crianças poderão plantar sementes diferentes numa caixinha de madeira ou caixotinho de frutas. Cada criança prepara uma plaquinha com o desenho do que plantou colando-a em palitos de sorvete para identificar a semente plantada.
    6-Harmonização final/prece
Apresentar a gravura de um jardim com flores (anexo 1) ou apresenta-la em transparência no retroprojetor. Lembrar que as flores são partes das plantas, destacando sua beleza. Dizer que também foram criadas pelo nosso Pai do Céu, portanto são também nossas irmãs. Depois de observadas, pedir que as crianças, com os olhos fechados, imaginem que estão no meio delas, sentindo seu perfume...
pensar: Como são lindas as flores!

    Auto Aavaliação





Fonte:
Apostila Lar Fabiano de Cristo       
Educação do Ser Integral

Ilustração: Francisco de Assis

 Anexo



Flanel 1, 5, 6



Flanel 2, 3, 4


FRANCISCO DE ASSIS



Há muito tempo nasceu longe daqui um menino que se chamou Francisco.
Ele cresceu e tornou-se um jovem que era conhecido como Francisco de Assis.
Amava as pessoas, os animais, as plantas, principalmente as flores, a quem chamava “minhas irmãzinhas‟.

Flanel 1   Todos os dias Francisco ia para o jardim e, então...

Flanel 2   - Bom dia irmãzinha Rosa!

Flanel 3   - Olá, irmãozinho Girassol!

Flanel 4   - Como você está bonita Margarida!

Flanel 5   mas um dia ele percebeu que a violeta estava murchinha. Parou para ver se a florzinha precisava de um pouquinho de água, se a terra estava fofinha ou se havia algum bichinho.
Francisco ajeitou tudo e não esqueceu de dar muito amor para sua amiguinha - flor, dizendo
Palavras bonitas para ela:
- Eu gosto muito de você!
- Você é muito importante no jardim!
- Deus criou você para tornar a vida mais bonita!

Alguns dias passaram...

Certa manhã Francisco foi ao jardim e... que surpresa!

Flanel 6   - Irmã Violeta, como você está linda!!



Vocês sabem o que ajudou a violeta a ficar bonita?