Precursores do Espiritismo

Loading...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

PAZ, A GRANDE CONQUISTA - 5 (Crianças de 8 a 12 anos)


TEMA BÁSICO:
PAZ, A GRANDE CONQUISTA
OBJETIVO:
Identificar a paz como a grande conquista da alma, resultado da sua harmonização com a Lei Divina.  

Crianças de 8 a 12 anos


1. ATIVIDADE DINÂMICA:
2. HARMONIZAÇÃO INICIAL
3. ATIVIDADE INTRODUTÓRIA
Apresentar a seguinte situação:
João, homem já idoso, internado num hospital com uma doença incurável, chama Otávio, seu filho mais velho, para conversarem. O pai revela ao filho o grande segredo de sua vida e lhe dá uma importante tarefa. (anexo 1)

• O segredo do pai:

– Otávio, como você sabe, sou um homem muito rico e importante aqui no interior. Mas comecei essa fortuna de maneira errada. E hoje minha consciência me acusa. Ernesto era meu sócio nos negócios. Tudo que ganhávamos era dividido em partes iguais. Até o dia que Ernesto sofreu um acidente e morreu. Deixou mulher e filhos pequenos. Eu agi muito mal. Fiquei com o dinheiro dele quase todo e dei uma pequena parte para a viúva. A família ficou na pobreza. Mais tarde soube que a pobre mulher ficou doente e morreu. Os filhos foram para um orfanato. Eu causei essa infelicidade à família de um amigo. Agora, quero morrer em paz e não consigo. Sinto-me perturbado pelo remorso. Ajude-me, meu filho!

• A tarefa que o pai deu ao filho:

– Pegue uma boa quantia no Banco, vá até a capital, onde ninguém me conhece e dê esse dinheiro para uma obra de caridade que seja séria. Diga que a doação é em nome de Ernesto da Silva. Mas dê somente para alguém que seja sério e não faça como eu fiz. Volte logo porque sei que não vou durar muito tempo. Quem sabe assim a minha consciência fica em paz, já que não posso voltar o tempo.

• O filho na capital:

Otávio chega na Rodoviária da capital, toma um taxi e dirige-se para uma boa instituição que presta  assistência à famílias necessitadas. Entrega uma pasta cheia de dinheiro. Volta para sua cidade pensando:
– Meu pai agora está com a consciência tranqüila.                                 
4- ATIVIDADE REFLEXIVA
4.1- Refletir com o grupo sobre as seguintes questões:
– João, no leito da morte, possuía tudo o que dinheiro pode comprar; mas ele era feliz? Por quê?
– Quando João era bem jovem e ficou com o dinheiro do seu sócio ele pensou que um dia sentiria remorso?
– Por que à medida que nos aproximamos da morte sentimos mais remorso dos erros cometidos?
– O que era o mais importante para João agora: o dinheiro ou a consciência em paz?
– Quando agimos de maneira honesta, de acordo com as leis de Deus, como fica nossa consciência?
– E quando agimos mal, ganhamos dinheiro de forma desonesta, levando prejuízo a outras pessoas, como fica nossa consciência?
– A doação do dinheiro para os necessitados acalmou a consciência de João. Mas será que ele anulou o mal praticado?
– Se o João visse seu sócio como um irmão, filho do mesmo Pai, com as mesmas necessidades dele, teria feito o que fez?
Observação: É importante esclarecer que o que nos tira a paz são os “monstros” que criamos (anexo 2). Para João foi o monstro da Ambição. Para outros é o monstro da Inveja; ou o monstro da Vaidade; ou o monstro do Orgulho...
– Vocês querem ver quantos monstros criamos com o nosso pensamento?
4.2- Apresentar as seguintes situações para debate:
Um menino estava muito feliz quando viu seu vizinho ganhar um lindo par de tênis. Ele logo desejou ter um igual e ficou irritado quando soube que não poderia ter um. Sentiu-se  infeliz e perdeu a paz.
– Qual foi o monstro que o fez perder a paz?
– Por que ele deu tanta importância a um tênis? É mesmo importante?Uma pessoa não aceita estar envelhecendo. Quando sai de casa coloca chapéu e óculos escuros para que ninguém veja as rugas no seu rosto. Muitas vezes ela, desgostosa nem sai de casa, sentido-se sozinha e revoltada. Perdeu a alegria de viver e a paz.
– Qual foi o monstro que a fez perder a paz?
– Qual seria a atitude correta?Um filho gostava muito do pai. Ele fez algo errado e o pai o repreendeu. Ele não gostou de ser repreendido e afastou-se do pai. Quando o pai chegava, ele saía. A partir daquele momento, a paz da família desapareceu.
– Qual foi o monstro que ele abrigou no coração?
– Qual seria a atitude correta?
4.4- Concluir que:
Ü Quem faz mal ao outro, sente ódio, pratica a violência ou deseja demasiadamente as coisas do mundo, perde a paz e a consciência tranqüila.
Ü A consciência continua depois da morte do corpo.
Ü A verdadeira paz é a paz da consciência tranqüila, que é a maior conquista do ser humano.
Ü A paz do mundo começa dentro de cada pessoa. Uma pessoa de paz pode transformar uma família; uma família transforma uma comunidade e uma comunidade transforma uma sociedade.
5- ATIVIDADE CRIATIVA
Pedir que, em pequenos grupos, criem e apresentem uma música a respeito da importância da paz.
6- HARMONIZAÇÃO FINAL / PRECE
6.1- Pedir que visualizem Jesus falando para a multidão. Muitos estão sentados, outros de pé, mas todos estão em silêncio ouvindo o Mestre. Uma suave brisa envolve todo o ambiente.... Sentir-se também nesse local em profunda paz... Uma imensa alegria o envolve.
6.2- Meditar

O amor de Jesus me envolve. Sinto imensa paz.

7- AUTO-AVALIAÇÃO


Anexo 1



Anexo 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário